Movimento separatista realiva novo plesbicito para independência do RS, SC e PR

Por: Matheus Feitosa Escritor da News365
Organização espera 2 milhões de votos.
Notícias 07 Outubro 2017 17h 27min

Mais de duas mil urnas foram dividas entre 900 cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Organização espera 2 milhões de votos.
Organização espera 2 milhões de votos.

Movimento separatista realiva novo plesbicito para independência do RS, SC e PR

Mais de duas mil urnas foram dividas entre 900 cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Notícias 07 Outubro 2017 17h 27min


O Brasil está em crise financeira e há quem queria deixar o país. Até aí nenhuma novidade, mas há quem queira que seu estado deixe de ser uma Unidade Federativa do Brasil. O movimento Separatista "O Sul é Meu País" está realizando desde as oito da manhã deste sábado, sete de outubro, um plebiscito informal. Neste, há um questionamento sobre uma possível separação do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná do restante do país.

80% dos 497 municípios gaúchos e também estados vizinhos estão recebendo as urnas, um total de 2,5 mil, de acordo com os organizadores. Segundo o movimento, o Plebisul tem um caráter simbólico, já que não há validade legal. Os participantes respondem "sim" ou "não" à pergunta: "Você quer que o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul formem um país independente?". A votação deve alcontecer até as oito da noite em algumas cidades.

Após votar, o participante é convidado a assinar um projeto de lei sobre o tema que será levado ao legislativo. É necessário que as assinaturas cheguem a pelo menos 1% da quantidade de eleitores em cada um dos três estados. Esta não é a primeira vez que isso acontece: a coordenadora geral do movimento, Anidria Rocha acredita que haverão cerca de 2 milh&olhões de votos este ano, ante 600 mil dos anos anteriores. Segundo ela, a crise política e a representatividade política impulsionará os votos.

"O movimento tomou uma proporção enorme por causa da crise política, social e econômica pela qual passa o país, o movimento por independência e liberdade cresce em todo o país, outros estados tentam entrar com projeto de lei para que a população seja consultada, é uma busca por liberdade", afirma. Um eleitor afirmou que sempre quis  morar fora do país, mas não vê outra saíde: "Era a forma de sair do país sem romper tantos paradigmas. Por isso entrei nessa causa", disse.

A contagem será manual e será auditada por pessoas favoráveis e contrárias a separação, o resutado será publicado no portal do grupo entre sábado e domingo, dia oito. Na primeira edição, o estado com maior número de votos foi o Rio Grande do Sul, quando 320 mil pessoas votaram. Destas, 311 mil a favor. Em Santa Catarina, 272 mil pessoas votaram, 257 mil a favor. No Paraná, apenas 24 mil votaram, mas 21 mil a favor. 

Alguns internautas comentaram: "Se o Sul se separasse mesmo ia ser top, falando sério. Ia ser tipo uma mini-europa na América do Sul", disse @goztawu. "Esse negócio do Plebisul não pode ser vdd! Gente, se faz tanta questão, então vai ser independente. Por falta de tchau... Adeus", escreveu @Adriana_Maeda. "Esse pessoal do Sul votando no Plebisul só tá passando vergonha achando que tão arrasando igual a Catalunha", escreveu @FernandaFerrarr.


O Brasil está em crise financeira e há quem queria deixar o país. Até aí nenhuma novidade, mas há quem queira que seu estado deixe de ser uma Unidade Federativa do Brasil. O movimento Separatista "O Sul é Meu País" está realizando desde as oito da manhã deste sábado, sete de outubro, um plebiscito informal. Neste, há um questionamento sobre uma possível separação do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná do restante do país.

80% dos 497 municípios gaúchos e também estados vizinhos estão recebendo as urnas, um total de 2,5 mil, de acordo com os organizadores. Segundo o movimento, o Plebisul tem um caráter simbólico, já que não há validade legal. Os participantes respondem "sim" ou "não" à pergunta: "Você quer que o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul formem um país independente?". A votação deve alcontecer até as oito da noite em algumas cidades.

Após votar, o participante é convidado a assinar um projeto de lei sobre o tema que será levado ao legislativo. É necessário que as assinaturas cheguem a pelo menos 1% da quantidade de eleitores em cada um dos três estados. Esta não é a primeira vez que isso acontece: a coordenadora geral do movimento, Anidria Rocha acredita que haverão cerca de 2 milhões de votos este ano, ante 600 mil dos anos anteriores. Segundo ela, a crise política e a representatividade política impulsionará os votos.

"O movimento tomou uma proporção enorme por causa da crise política, social e econômica pela qual passa o país, o movimento por independência e liberdade cresce em todo o país, outros estados tentam entrar com projeto de lei para que a população seja consultada, é uma busca por liberdade", afirma. Um eleitor afirmou que sempre quis  morar fora do país, mas não vê outra saíde: "Era a forma de sair do país sem romper tantos paradigmas. Por isso entrei nessa causa", disse.


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.