Lula apresenta documentos com datas que não existem e se complica; veja os documentos

Por: Matheus Feitosa Escritor da News365
Defesa de Lula respondeu
Política 27 Setembro 2017 11h 00min

Os advogados do ex-presidente anexaram recibos de pagamento de aluguel com erros na data.

Defesa de Lula respondeu
Defesa de Lula respondeu

Lula apresenta documentos com datas que não existem e se complica; veja os documentos

Os advogados do ex-presidente anexaram recibos de pagamento de aluguel com erros na data.

Política 27 Setembro 2017 11h 00min

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentaram dois recibos para comprovar o pagamento do aluguel de um apartamento que é alvo de uma das investigações da Operação Lava Jato. As datas, entretanto, não existem no calendário. A quitação do aluguel, segundo os documentos, é referente as datas 31 de julho de 2014 e 31 de novembro de 2015, acontece que ambos os meses terminam no dia 30.

Os recibos apresentados pelo ex-presidente contém, de acordo com o portal G1: datas inexistentes no caléndário, além de grafia incorreta da cidade e recibos com a mesma data de vencimento. Nos documentos, é possível perceber que está incorreta a grafia da cidade onde o apartamento está localizado: "São Bernanrdo do Campo".

Outro ponto estranho entre os documentos apresentados é que, um recibo mostra o pagamento em 31 de junho com pagamento em 5 de agosto, há outro comprovante que mostra que a quitação do mesmo mês foi realizada em 7 de julho de 2014. Os documentos foram apresentados após Sérgio Moro questionar se existia algum comprovante de pagamento ao dono do imóvel, Glaucos da Costamarques, que é familiar do pecuarista José Carlos Bumlai.

Lula está respondendo processo, a acusação contra ele é de receber propina da Odebrecht. A denúncia afirma que Costamarques comprou o imóvel com o dinheiro da construtora. O real intúito era dar o apartamento para o petista, que alugava o local desde que assumiu a Presidência do Brasil para abrigar seguranças que faziam sua escolta pessoal. O parente de Bumlai seria laranja, segundo o Ministério Público.

O dono do imóvel afirmou que só começou a receber valores do aluguel em 2015. "Eu declarei que eu recebi os aluguéis, mas eu n&atiatilde;o recebi", disse ele sobre a declaração de Imposto de Renda entre 2011 e 2014.

O advogado de Lula afirma que os erros em dois dos 26 recibos não tem qualquer relevância para o valor probatório dos documentos. Segundo Cristiano Zanin Martins, fica provado ali que os alugueis foram quitados, derrubando a tese do Ministério Público. A defesa de Costamarques afirma que os erros nos recibos provama a necessidade de um exame mais minuncioso.

"A tentativa de transformar os recibos no foco principal da ação é uma clara demonstração de que nem o Ministério Público nem o juízo encontraram qualquer materialidade para sustentar as descabidas acusações formuladas contra Lula em relação aos contratos da Petrobras", diz a nota.




A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentaram dois recibos para comprovar o pagamento do aluguel de um apartamento que é alvo de uma das investigações da Operação Lava Jato. As datas, entretanto, não existem no calendário. A quitação do aluguel, segundo os documentos, é referente as datas 31 de julho de 2014 e 31 de novembro de 2015, acontece que ambos os meses terminam no dia 30.

Os recibos apresentados pelo ex-presidente contém, de acordo com o portal G1: datas inexistentes no caléndário, além de grafia incorreta da cidade e recibos com a mesma data de vencimento. Nos documentos, é possível perceber que está incorreta a grafia da cidade onde o apartamento está localizado: "São Bernanrdo do Campo".

Outro ponto estranho entre os documentos apresentados é que, um recibo mostra o pagamento em 31 de junho com pagamento em 5 de agosto, há outro comprovante que mostra que a quitação do mesmo mês foi realizada em 7 de julho de 2014. Os documentos foram apresentados após Sérgio Moro questionar se existia algum comprovante de pagamento ao dono do imóvel, Glaucos da Costamarques, que é familiar do pecuarista José Carlos Bumlai.

Lula está respondendo processo, a acusação contra ele é de receber propina da Odebrecht. A denúncia afirma que Costamarques comprou o imóvel com o dinheiro da construtora. O real intúito era dar o apartamento para o petista, que alugava o local desde que assumiu a Presidência do Brasil para abrigar seguranças que faziam sua escolta pessoal. O parente de Bumlai seria laranja, segundo o Ministério Público.

O dono do imóvel afirmou que só começou a receber valores do aluguel em 2015. "Eu declarei que eu recebi os aluguéis, mas eu não recebi", disse ele sobre a declaração de Imposto de Renda entre 2011 e 2014.

O advogado de Lula afirma que os erros em dois dos 26 recibos não tem qualquer relevância para o valor probatório dos documentos. Segundo Cristiano Zanin Martins, fica provado ali que os alugueis foram quitados, derrubando a tese do Ministério Público. A defesa de Costamarques afirma que os erros nos recibos provama a necessidade de um exame mais minuncioso.


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.