Coreia do Norte faz evento contra EUA e Trump faz ameaças 'Não estarão muito tempo por aí'

Por: Matheus Feitosa Escritor da News365
O mundo se prepara para uma possível guerra nuclear
Mundo 24 Setembro 2017 14h 53min

Temperatura entre discussão dos Estados Unidos e Coreia do Norte aumenta e nível das ameaças preocupam.

O mundo se prepara para uma possível guerra nuclear
O mundo se prepara para uma possível guerra nuclear

Coreia do Norte faz evento contra EUA e Trump faz ameaças 'Não estarão muito tempo por aí'

Temperatura entre discussão dos Estados Unidos e Coreia do Norte aumenta e nível das ameaças preocupam.

Mundo 24 Setembro 2017 14h 53min

Donald Trump é conhecido por não ter papas na língua. O presidente, que tem grande rejeição dos americanos, afirmou que o Ministro das Relações Exteriores da Coria do Norte e Kim Jong-Un "não estarão por perto por muito tempo", Pyongyang estaria montando um "grande evento" contra os Estados Unidos, país conhecido pelo grande poder bélico e, de longe, o maior investidor no poderio de guerra no mundo.

O chanceler norte-americano Ri Young Ho afirmou em sua passagem na Assembleia Geral das Nações Unidas no sábado (23) que mirar os Estados Unidos com os foguetes de seu país era "inevitável" após o "Sr. Presidente Maligno" ter chamado o líder norte-coreano de "piloto de foguete" em uma missão suicida.

"Acabei de saber que o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte falou na ONU. Se ele estiver transmitindo os pensamentos do pilotinho de foguete, eles não estarão por perto por muito tempo", afirmou o presidente norte-americano jogando ainda mais lenha na fogueira que já estava bem alta.

Os líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte tem trocado insultsultos e ameaças pessoais cada vez mais frequentemente. Pyongyang, capitaldo país asiático trabalha a todo o vapor para atingir uma meta perigosa: um míssil nuclear capaz de atingir os Estados Unidos, algo que Donald Trump afirmou por diversas vezes que impedirá.

O problema é que a retórica de ambos os líderes pode causar um problema imenso para ambos os países. Erro de cálculo de um dos lados pode gerar repercussões massivas, de acordo com analistas ouvidos pela agencia de notícia Reuters.

Dezenas de milhares de pessoas foram à praça Kim II Sung em Pyongyang para um evento contra os Estados Unidos promovido pelo governo. As imagens foram transmitidas pela KRT, agencia de notícias oficial do país, que é considerado o mais fechado do mundo. A emissora afirma que mais de 100 mil participaram da reunião e fizeram discursos de apoio ao líder norte-coreano.

"Estamos aguardando o momento certo para ter a batalha final contra os EUA, o império maligno, e remover os EUA do mundo", disse a rede de televisão. "Uma vez que o respeitoso comandante supremo Kim Jong-Un der a ordem, nós iremos aniquilar o grupo de agressores", concluiu.

Trump anunciou na ONU que irá varrer a Coreia do Norte do mapa se "não tiver escolha" e foi respondido pelos norte-coreanos, que afirmaram que Trump não os assustou com seus "latidos de cão assustado".

Donald Trump é conhecido por não ter papas na língua. O presidente, que tem grande rejeição dos americanos, afirmou que o Ministro das Relações Exteriores da Coria do Norte e Kim Jong-Un "não estarão por perto por muito tempo", Pyongyang estaria montando um "grande evento" contra os Estados Unidos, país conhecido pelo grande poder bélico e, de longe, o maior investidor no poderio de guerra no mundo.

O chanceler norte-americano Ri Young Ho afirmou em sua passagem na Assembleia Geral das Nações Unidas no sábado (23) que mirar os Estados Unidos com os foguetes de seu país era "inevitável" após o "Sr. Presidente Maligno" ter chamado o líder norte-coreano de "piloto de foguete" em uma missão suicida.

"Acabei de saber que o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte falou na ONU. Se ele estiver transmitindo os pensamentos do pilotinho de foguete, eles não estarão por perto por muito tempo", afirmou o presidente norte-americano jogando ainda mais lenha na fogueira que já estava bem alta.

Os líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte tem trocado insultos e ameaças pessoais cada vez mais frequentemente. Pyongyang, capitaldo país asiático trabalha a todo o vapor para atingir uma meta perigosa: um míssil nuclear capaz de atingir os Estados Unidos, algo que Donald Trump afirmou por diversas vezes que impedirá.

O problema é que a retórica de ambos os líderes pode causar um problema imenso para ambos os países. Erro de cálculo de um dos lados pode gerar repercussões massivas, de acordo com analistas ouvidos pela agencia de notícia Reuters.


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.