VÍDEO: Desembargador é chamado de corrupto em sessão e manda prender advogado

Por: Felipe M. Escritor da News365
O caso ocorreu em um Tribunal de Justiça de Santa Catarina.
Notícias 05 Agosto 2017 18h 25min

Caso aconteceu no Tribunal de Justiça de Santa Catarina após advogado acusar o desembargador de ter oferecido propina à ele.

O caso ocorreu em um Tribunal de Justiça de Santa Catarina.
O caso ocorreu em um Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

VÍDEO: Desembargador é chamado de corrupto em sessão e manda prender advogado

Caso aconteceu no Tribunal de Justiça de Santa Catarina após advogado acusar o desembargador de ter oferecido propina à ele.

Notícias 05 Agosto 2017 18h 25min

Uma audiência em Santa Catarina terminou com acusações sérias de um advogado contra um desembargador que é chamado de corrupto no Tribunal de Justiça do estado. A confusão aconteceu na última quinta-feira (3), e um vídeo comprova como o advogado Felisberto Odilon Córdova denunciou o desembargador Eduardo Gallo, acusado de ter oferecido propina para julgar a causa do processo favorável ao cliente. O desembargador seria o relator do processo, e chegou a oferecer 700 mil reais para o escritório que Felisberto trabalha. O advogado aparece exaltado diante do Tribunal de Justiça e rapidamente pede para que aquele processo fosse investigado pelo Ministério Público. Como resposta, o desembargador pediu imediatamente a prisão do advogado, pela sua alteração de voz durante a audiência.

Durante a sustentação oral em que Felisberto apresentaria fatos sobre o processo, que equivale a 35 milhões de reais, o advogado falou sobre os e-mails que o escritório recebeu do desembargador Eduardo Gallo oferecendo o pagamento de propina para que ele julgasse o caso de forma favorável ao cliente. Pelo que foi dito por Felisberto, o processo já estaria ‘comprado’, e que inicialmente Gallo ofereceu ao advogado a quantia de 500 mil, que seriam pagos metade antes do processo e a outra parte depois que o processo terminasse. Como o advogado recusou a oferta inicial, o desembargador teria aumentado o valor do do repasse para 700 mil reais, mas Felisberto recusou a oferta e disse que se sentiu pressionado pelo desembargador.

O valor da causa envolve um agravo de instrumento interposto em execução de honorários, apresentando uma ação milionária. Segundo Felisberto, tudo estaria armado para que esse valor fosse pago, e de forma exaltada, o advogado denunciou o desembargador, que pediu sua prisão imediatamente. O advogado pede impugnação do julgamento, dizendo que ele estava comprado, e chegou a xingar Gallo de ‘’safado e corrupto’’. O jurista disse que em 25 anos de magistratura ele nunca foi tratado dessa forma, e pelo excesso verbal de Felisberto, o desembargador acabou pedindo a prisão do advogado durante o julgamento.

O desembargador que acompanhava o julgamento pediu vistas dos autos assim que a confusão começou e suspendeu a audiência. Foram incluídos o Ministério Público e a OAB no caso para acompanharem como será o próximo julgamento que terá sua data ainda definida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Uma audiência em Santa Catarina terminou com acusações sérias de um advogado contra um desembargador que é chamado de corrupto no Tribunal de Justiça do estado. A confusão aconteceu na última quinta-feira (3), e um vídeo comprova como o advogado Felisberto Odilon Córdova denunciou o desembargador Eduardo Gallo, acusado de ter oferecido propina para julgar a causa do processo favorável ao cliente. O desembargador seria o relator do processo, e chegou a oferecer 700 mil reais para o escritório que Felisberto trabalha. O advogado aparece exaltado diante do Tribunal de Justiça e rapidamente pede para que aquele processo fosse investigado pelo Ministério Público. Como resposta, o desembargador pediu imediatamente a prisão do advogado, pela sua alteração de voz durante a audiência.

Durante a sustentação oral em que Felisberto apresentaria fatos sobre o processo, que equivale a 35 milhões de reais, o advogado falou sobre os e-mails que o escritório recebeu do desembargador Eduardo Gallo oferecendo o pagamento de propina para que ele julgasse o caso de forma favorável ao cliente. Pelo que foi dito por Felisberto, o processo já estaria ‘comprado’, e que inicialmente Gallo ofereceu ao advogado a quantia de 500 mil, que seriam pagos metade antes do processo e a outra parte depois que o processo terminasse. Como o advogado recusou a oferta inicial, o desembargador teria aumentado o valor do repasse para 700 mil reais, mas Felisberto recusou a oferta e disse que se sentiu pressionado pelo desembargador.

O valor da causa envolve um agravo de instrumento interposto em execução de honorários, apresentando uma ação milionária. Segundo Felisberto, tudo estaria armado para que esse valor fosse pago, e de forma exaltada, o advogado denunciou o desembargador, que pediu sua prisão imediatamente. O advogado pede impugnação do julgamento, dizendo que ele estava comprado, e chegou a xingar Gallo de ‘’safado e corrupto’’. O jurista disse que em 25 anos de magistratura ele nunca foi tratado dessa forma, e pelo excesso verbal de Felisberto, o desembargador acabou pedindo a prisão do advogado durante o julgamento.


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.