Hospital manda enfermeira embora por ela usar uniforme sexy

Por: Ana Claudia Ramos Escritor da News365
O caso ocorreu na Tailândia.

Notícias 27Maio2017 21 h 22min

A acusação é que ela se comporta com a roupa de maneira muito sensual, o que prejudicaria o andamento do trabalho.

O caso ocorreu na Tailândia.
O caso ocorreu na Tailândia.

Hospital manda enfermeira embora por ela usar uniforme sexy

A acusação é que ela se comporta com a roupa de maneira muito sensual, o que prejudicaria o andamento do trabalho.

Notícias 27Maio2017 21 h 22min

Uma enfermeira tailandesa foi punida por ser sensual. A punição? Demissão suméria, por justa causa. Se fosse no Brasil, será que isso seria assim tão ofensivo?

Não temos como saber. De qualquer forma, chama muito a atenção uma funcionaria ser desligada de suas funções não por não ser capaz de realizá-las de forma eficiente, mas, sim, pela maneira com que se veste.

Vamos aos fatos. Parichat 'Pang' Chatsri, de 26 anos, trabalhava como enfermeira em um hospital particular da cidade de Isan, na Tailândia. Bonita que é, ela não fazia questão de esconder seu sexy appeal.  Não se escondia nem na maneira de usar o uniforme e nem na maneira de se comportar.

Não há relatos de que os pacientes tenham reclamado do proceder da profissional. No entanto, os superiores de Parichat não curtiram muito o jeito dela. Eles a suspenderam do hospital e depois a demitiram alegando que ela usava seu uniforme “de maneira sexy e irresponsável”.

No contrato de trabalho que a moça assinou pode ter alguma cláusula que determine a maneira de vestir as roupas de trabalho. Mas se realmente havia, a jovem não tomou conhecimento.

As palavras usadas pela direção do hospital particular, que fica em Isan, na Tailândia, acabaram gerando uma certa polêmica no país. Há que concorde com a dispensa de Parichat e há os que que acreditam se tratar de uma grande injustiça.

O Jornal Daily Mail fez uma reportagem sobre o assunto e relatou que a enfermeira já estava acostumada a publicar em suas redes sociais fotos usando o mesmo uniforme lilás. Muitas destas imagens eram publicadas até mesmo no hospital, ou seja, dentro do ambiente de trabalho.

Claro que os seguidores sempre elogiavam Parichat, o que a estimulava a continuar postando. Mas, ao contrário dos internautas, o hospital não gostou dos registros e resolveu demitir a profissional. 

A direção criticou o tamanho inadequado da roupa. Membros da administração do hospital ainda disseram que as poses que ela fazia desrespeitam as condutas éticas necessárias na profissão de enfermeira.

A jovem ficou abalada com o assunto, principalmente pelo fato de ter tomado grandes proporções, o que pode “manchar” a sua carreira na área hospitalar.

Já desempregada, em entrevista ao jornal inglês Daily Mail, a ex enfermeira deu algumas declarações. Ela afirmou que depois do baque da demissão conseguiu entender p posicionamento do hospital. Disse ainda que não queria que o caso tivesse tido essa enorme repercussão. Relatou que assume a responsabilidade pelos seus atos e que precisa pedir desculpas. Finalizou a entrevista dizendo que a última coisa que quer é mais problemas. “Preciso e vou melhorar”, encerrou ela.

Uma enfermeira tailandesa foi punida por ser sensual. A punição? Demissão suméria, por justa causa. Se fosse no Brasil, será que isso seria assim tão ofensivo?

Não temos como saber. De qualquer forma, chama muito a atenção uma funcionaria ser desligada de suas funções não por não ser capaz de realizá-las de forma eficiente, mas, sim, pela maneira com que se veste.

Vamos aos fatos. Parichat 'Pang' Chatsri, de 26 anos, trabalhava como enfermeira em um hospital particular da cidade de Isan, na Tailândia. Bonita que é, ela não fazia questão de esconder seu sexy appeal.  Não se escondia nem na maneira de usar o uniforme e nem na maneira de se comportar.

Não há relatos de que os pacientes tenham reclamado do proceder da profissional. No entanto, os superiores de Parichat não curtiram muito o jeito dela. Eles a suspenderam do hospital e depois a demitiram alegando que ela usava seu uniforme “de maneira sexy e irresponsável”.

No contrato de trabalho que a moça assinou pode ter alguma cláusula que determine a maneira de vestir as roupas de trabalho. Mas se realmente havia, a jovem não tomou conhecimento.

As palavras usadas pela direção do hospital particular, que fica em Isan, na Tailândia, acabaram gerando uma certa polêmica no país. Há que concorde com a dispensa de Parichat e há os que acreditam se tratar de uma grande injustiça.


Fontes:


Comentários

Envie seu comentário sobre essa notícia.



© 2017, News 365 todos os direitos reservados.