Tribunal diminui pena de Cunha na Lava Jato em 10 meses

Por: Bruno Tomé Escritor da News365
Ex-presidente da Câmara dos Deputados tentou anular a pena dada por Sérgio Moro.

Política 21Novembro2017 18 h 42min

Acusado por corrupção e lavagem de dinheiro, ex-presidente da Câmara tentou apelação para anular pena.

Ex-presidente da Câmara dos Deputados tentou anular a pena dada por Sérgio Moro.
Ex-presidente da Câmara dos Deputados tentou anular a pena dada por Sérgio Moro.

Tribunal diminui pena de Cunha na Lava Jato em 10 meses

Acusado por corrupção e lavagem de dinheiro, ex-presidente da Câmara tentou apelação para anular pena.

Política 21Novembro2017 18 h 42min

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região diminuiu a pena do ex-deputado federal do PMDB Eduardo Cunha para 14 anos e 6 meses. Antes, o ex-político tinha que cumprir 15 anos e 4 meses de prisão. Anteriormente, o ex-presidente da Câmara dos Deputados havia sido condenado pelo juiz federal Sérgio Moro por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e evasão de divisas em processo da Lava Jato. A apelação de Cunha foi votada nesta terça-feira (21) em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. 

Os desembargadores que analisaram e votaram a apelação ainda decidiram pelo cumprimento imediato da pena após o julgamento dos embardos de declaração, que seriam alguns recursos usados para esclarecer pontos da sentença. O advogado de Cunha, Pedro Ivo Velloso afirmou que o réu irá recorrer novamente, ainda que o julgamento desta terça foi considerado positivo. Para a defesa do ex-político, não há provas de que Cunha tenha sido beneficiado com a corrupção, h&ahá apenas a fala de um dos delatores da Lava Jato. 

A defesa havia elencado diversos pontos para que a pena de Eduardo Cunha fosse anulada. Do outro lado, o Ministério Público Federal (MPF) busca aumentar a pena de um dos políticos que é considerado um dos "cérebros" da corrupção na Câmara dos Deputados. A instituição pública buscava pena de 18 anos e 6 meses em regime fechado. 

Mesmo recorrendo, Eduardo Cunha permanecerá preso em Curitiba, onde está desde outubro de 2016. Junto com o recurso no julgamento, a defesa do ex-deputado gostaria que ele passasse a cumprir pena em Brasília, no entanto, o próprio juiz Sérgio Moro já havia negado o pedido. Moro garante que o réu tem que continuar preso nessa fase do processo, ainda mais que Cunha teria tentando, mesmo na cadeia, chantagear e ameaçar testemunhas. 

No primeiro julgamento, Moro havia condenado Eduardo Cunha pelo ganho de propina em negociação da Petrobras por um campo de exploração de petróleo na República do Benin. Apenas nesse negócio, o ex-político teria ganho cerca de 1,5 milhões de dólares. Assim como outros valores ganhos de propina, o dinheiro ia para contas na Suíça. 

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região diminuiu a pena do ex-deputado federal do PMDB Eduardo Cunha para 14 anos e 6 meses. Antes, o ex-político tinha que cumprir 15 anos e 4 meses de prisão. Anteriormente, o ex-presidente da Câmara dos Deputados havia sido condenado pelo juiz federal Sérgio Moro por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e evasão de divisas em processo da Lava Jato. A apelação de Cunha foi votada nesta terça-feira (21) em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. 

Os desembargadores que analisaram e votaram a apelação ainda decidiram pelo cumprimento imediato da pena após o julgamento dos embardos de declaração, que seriam alguns recursos usados para esclarecer pontos da sentença. O advogado de Cunha, Pedro Ivo Velloso afirmou que o réu irá recorrer novamente, ainda que o julgamento desta terça foi considerado positivo. Para a defesa do ex-político, não há provas de que Cunha tenha sido beneficiado com a corrupção, há apenas a fala de um dos delatores da Lava Jato. 

A defesa havia elencado diversos pontos para que a pena de Eduardo Cunha fosse anulada. Do outro lado, o Ministério Público Federal (MPF) busca aumentar a pena de um dos políticos que é considerado um dos "cérebros" da corrupção na Câmara dos Deputados. A instituição pública buscava pena de 18 anos e 6 meses em regime fechado. 


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.