Pai mata família, criança de 9 anos escapa e chama a polícia

Por: Matheus Feitosa Escritor da News365
O homem usou uma arma branca.

Polícia 11Outubro2017 17 h 04min

A Polícia Militar informa que um garoto de nove anos conseguiu se esconder e denunciar o que estava acontecendo.

O homem usou uma arma branca.
O homem usou uma arma branca.

Pai mata família, criança de 9 anos escapa e chama a polícia

A Polícia Militar informa que um garoto de nove anos conseguiu se esconder e denunciar o que estava acontecendo.

Polícia 11Outubro2017 17 h 04min

Um homem de 55 anos assassinou sua ex-companheira e seus dois filhos. Ela tinha 37 anos e seus filhos tinham 19 e 14 na madrugada de quarta-feira, dia onze de outubro na casa onde moravam no bairro Cohab II, no município de General Salgado, em São Paulo. O filho do casal de apenas nove anos escapou do homicídio pois conseguiu se esconder embaixo da cama. O criminoso se matou após cometer os três assassinatos.

De acordo com os Policiais Militares o menino que chamou as autoridades quando viu o irmão ser assassinado. O homem que cometeu o crime era investigado por um suposto abuso sexual da enteada de 14 anos, informa a polícia. Os policiais foram até o local e localizaram a faca usada no crime pelo suspeito. Nas redes sociais, o caso repercutiu entre os internautas: "O cara era investigado por suposto abuso contra a filha e ainda assim moravam juntos?", comentou Rodrigo da Cunha.

O jovem de 19 anos se chamava Erick Wesley dos Santos Souza, sua irmã de 14 anos era Vitória Yasmim dos Santos Ferrari, a mãe era Sandra Regina dos Santos e o assassino se chamava Valteni Ferrari, que era motorista. Após a acusação de abuso sexual, o homem fugiu e fazia ligações e enviava mensagens ameaçando a ex-mulher e os familiares há cerca de um mês. Ele prometia voltaltar para se vingar da denúncia.

O namorado de Vitória estava presente no momento do crime, mas não foi ferido, pois saiu do local para procurar ajuda imediatamente. Rafael Ribeiro Ferreira, namorado da jovem de 14 anos, disse à polícia que Valteni pulou o muro da residência por volta de cinco horas da manhã. Ele tinha um canivete e ameaçou Sandra, que tinha medida protetiva contra ele. Antes do amanhecer do dia, o crime já havia sido consumado e todos os moradores da região compartilhavam o sentimento de tristeza. O prefeito da cidade, Leandro Rogério de Oliveira, do PR disse que eles eram "uma família de bem". Além disso, a acusação de estupro havia deixado todos chocados, segundo o político.

Casos com este não são raros. Recentemente foi noticiado no News365 o caso de um jovem que entrou na escola em que estudava com uma arma e simplesmente abriu fogo contra todos que estavam na sala de aula. Após isso, o criminoso atirou contra a própria cabeça e caiu ao chão. O caso foi registrado no México e publicado em várias redes sociais. A comunidade internacional procura uma forma de frear casos assim, já que muitas vezes o agressor pretende cometer o crime e se matar após fazê-lo. 
 

Um homem de 55 anos assassinou sua ex-companheira e seus dois filhos. Ela tinha 37 anos e seus filhos tinham 19 e 14 na madrugada de quarta-feira, dia onze de outubro na casa onde moravam no bairro Cohab II, no município de General Salgado, em São Paulo. O filho do casal de apenas nove anos escapou do homicídio pois conseguiu se esconder embaixo da cama. O criminoso se matou após cometer os três assassinatos.

De acordo com os Policiais Militares o menino que chamou as autoridades quando viu o irmão ser assassinado. O homem que cometeu o crime era investigado por um suposto abuso sexual da enteada de 14 anos, informa a polícia. Os policiais foram até o local e localizaram a faca usada no crime pelo suspeito. Nas redes sociais, o caso repercutiu entre os internautas: "O cara era investigado por suposto abuso contra a filha e ainda assim moravam juntos?", comentou Rodrigo da Cunha.

O jovem de 19 anos se chamava Erick Wesley dos Santos Souza, sua irmã de 14 anos era Vitória Yasmim dos Santos Ferrari, a mãe era Sandra Regina dos Santos e o assassino se chamava Valteni Ferrari, que era motorista. Após a acusação de abuso sexual, o homem fugiu e fazia ligações e enviava mensagens ameaçando a ex-mulher e os familiares há cerca de um mês. Ele prometia voltar para se vingar da denúncia.


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.