VÍDEO: mulher vê casal negro com menino loiro na rua e chama a polícia

Por: Matheus Feitosa Escritor da News365
O caso rendeu comentários nas redes sociais.
Notícias 11 Outubro 2017 14h 45min

O caso foi registrado em Magé, a Baixada Fluminese, quem acusou o casal foi a dona do restaurante.

O caso rendeu comentários nas redes sociais.
O caso rendeu comentários nas redes sociais.

VÍDEO: mulher vê casal negro com menino loiro na rua e chama a polícia

O caso foi registrado em Magé, a Baixada Fluminese, quem acusou o casal foi a dona do restaurante.

Notícias 11 Outubro 2017 14h 45min

O casal Elisângela e Edivaldo mora na cidade de Magé, no Rio de Janeiro. Eles decidiram fazer compras na noite da última segunda-feira, dia nove de outubro em um supermercado perto da residência deles. Os dois resolveram levar o neto da senhoria de onde eles moram, o pequeno Cristiano Ronaldo, que mora casa ao lado. Eles tiveram a autorização da avó do menor para que saíssem para passear com ele.

Quando entraram no supermercado, Cristiano foi chamado por uma mulher que estava ali e avisou aos responsáveis que havia sido abordado por ela, identificada por Elisângela como Amanda Marques Costa. Segundo a mulher, a acusadora havia cismado que ela e seu marido estavam no supermercado para sequestrar a criança "simplesmente por que eu sou negra", disse. De acordo com Elisângela, a mulher gritou muito e fez com que ela e Edivaldo passassem vergonha e todos foram parar na delegacia.

O vídeo que circula nas redes sociais sobre o acontecimento foi registrado pelo celular de Elisângela, que afirmou que irá às últimas consequências. Segundo ela, esse caso foi racismo e "não pode ficar assim". De acordo com ela, havia sido autorizado pela avó do menor que eles saíssem juntos e só foram acusados por serem negros com uma criança branca.

Nas imagens é possível notar o momento que os oficiais da Polícia Civil chegam à cena de toda a confusão. O caso foi todo esclsclarecido por um telefonema feito para a avó do menino, que confirmou que havia autorizado. Segundo Elisângela, o delegado instruiu para que ela deixe o caso para lá, mas ela afirma que irá até as últimas consequências. Segundo ela, Amanda é dona de um restaurante famoso em Magé, chamado Galeto na Brasa. 

O caso gerou comentáros nas redes sociais: "Delegado instruindo para desistir? é assim que funciona quando negros vão denunciar caso de racismo nas delegacias pelo Brasil, não desista mesmo, vá até o fim, chega de impunidade pra esa gente", comentou Beatriz Matos. Fernanda Pinheiro escreveu: "O mais gozado e que a mulher que acusou o casal de sequestro tambem e negra".

Em novembro do ano passado foi publicada no Estadão uma matéria sobre os números de denúncias de racismo e injúria racial. Entre e 2014 e 2015 o número de denúncias cresceu mais de 4.000%. Foram 24 denúncias pelo Disque 100 em 2014 ante 1,064 em 2015. Injúria racial é quando uma pessoa tem sua dignidade ofendida por elementos de raça, cor ou etnia. O racismo é quando a conduta atinge o grupo ou a coletividade. Nesse caso, proibir uma pessoa de acessar um estabelecimento comercial por sua raça.

O Código Penal assegura pena de 1 a 3 anos de prisão e multa para quem cometer injúrias motivadas por “elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem, ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

O casal Elisângela e Edivaldo mora na cidade de Magé, no Rio de Janeiro. Eles decidiram fazer compras na noite da última segunda-feira, dia nove de outubro em um supermercado perto da residência deles. Os dois resolveram levar o neto da senhoria de onde eles moram, o pequeno Cristiano Ronaldo, que mora casa ao lado. Eles tiveram a autorização da avó do menor para que saíssem para passear com ele.

Quando entraram no supermercado, Cristiano foi chamado por uma mulher que estava ali e avisou aos responsáveis que havia sido abordado por ela, identificada por Elisângela como Amanda Marques Costa. Segundo a mulher, a acusadora havia cismado que ela e seu marido estavam no supermercado para sequestrar a criança "simplesmente por que eu sou negra", disse. De acordo com Elisângela, a mulher gritou muito e fez com que ela e Edivaldo passassem vergonha e todos foram parar na delegacia.

O vídeo que circula nas redes sociais sobre o acontecimento foi registrado pelo celular de Elisângela, que afirmou que irá às últimas consequências. Segundo ela, esse caso foi racismo e "não pode ficar assim". De acordo com ela, havia sido autorizado pela avó do menor que eles saíssem juntos e só foram acusados por serem negros com uma criança branca.

Nas imagens é possível notar o momento que os oficiais da Polícia Civil chegam à cena de toda a confusão. O caso foi todo esclarecido por um telefonema feito para a avó do menino, que confirmou que havia autorizado. Segundo Elisângela, o delegado instruiu para que ela deixe o caso para lá, mas ela afirma que irá até as últimas consequências. Segundo ela, Amanda é dona de um restaurante famoso em Magé, chamado Galeto na Brasa. 

O caso gerou comentáros nas redes sociais: "Delegado instruindo para desistir? é assim que funciona quando negros vão denunciar caso de racismo nas delegacias pelo Brasil, não desista mesmo, vá até o fim, chega de impunidade pra esa gente", comentou Beatriz Matos. Fernanda Pinheiro escreveu: "O mais gozado e que a mulher que acusou o casal de sequestro tambem e negra".


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.